terça-feira, 9 de setembro de 2008

PEDÁGIO X PROGRAMA ESTRUTURANTE DUPLICA RS

Fonte: Jornal Gazeta de Caxias
O badalado, difícil e pelo menos emblemático programa estruturante Duplica RS, que o Governo do Estado tenta impor aos gaúchos, é em princípio invasivo a futuros mandatos, depois contra os interesses da maioria dos contribuintes, pagadores diretos e até dos pagadores indiretos de impostos de nosso Estado.
Consiste, pelos dados divulgados pelo secretário de Estado e analisados pela Assurcon/Serra, num total de investimentos de 4 bilhões em Rodovias e acessos Municipais e 250 milhões em Hidrovias e 50 milhões em Aeroportos. Parece muito, mas é muito pouco, um tanto suspeito os números e muito caro aos contribuintes.
Por quê?
Porque parece arrumar o Estado, quando na verdade os números mostram que o objetivo principal, quiçá o único, é resolver o impasse ou impor a prorrogação dos contratos de pedágios, assinados em 1998 (com leizinhas até hoje ...) no Governo Britto e que vencerão em 2013.
O que chama a atenção é que a maior parte destes investimentos será realizada em rodovias federais dentro do território gaúcho, o que quer dizer que os investimentos nos pólos de concessão seriam das concessionárias que se ressarciriam cobrando a tarifa diretamente dos usuários, o que não deixa de ser uma forma de pagar 2 vezes, ou mais, os mesmos impostos já existentes para um mesmo fim.
Prorrogar um contrato mal construído, contestado, repulsivo, estranho e caro por mais 15 anos e que irá findar apenas no ainda longínquo ano de 2013, logo, fora do atual mandato do governo que hoje o negocia e propõe, é no mínimo passível de movimento de “ su co le reche “ (ou atenção em tudo – tradução não literal).
Para resumir a prorrogação proposta vai invadir outros tantos governos, que se desconhecem os eleitos e suas posições sobre matéria tão relevante.
Além disto, tais contratos são estranha e completamente diferentes dos modernos e mais baratos contratos, licitações ou leilões de trechos de pedágio que estão sendo feitos pelo Governo Federal em outros estados brasileiros, o que parece pelo menos um grande contra-senso de uma ou outra parte. Ou lá está muito barato (o que não acredito) ou aqui estão fora do preço justo, além de precipitados.
Por isto, é necessário repulsa ou mais discussão nas prováveis inconveniências das prorrogações dos atuais contratos e cláusulas desvantajosas ao interesse público.
No caso
de nossa Caxias do Sul, para exemplificação, a CONVIAS receberia mais 15 anos de prazo de concessão em troca de apenas 71 milhões de investimentos que já poderiam ter sido realizados nestes já 10 anos de concessão antiga, e com o novo prazo de concessão uma receita tranqüila de penso bem além de novos 1 bilhão de reais. E prorrogação não permite a concorrência com as empresas que poderiam ou estão administrando pedágios de 0,99 – 1,23 – 2,00 por trechos iguais ou maiores do que os daqui.(?)
Como justiça, é necessário que diga que anunciam um provável pequeno desconto entre usuários de Caxias e Farroupilha. Mas não menos grave é que nas prorrogações estão incluídas e implícitas bloqueios ou fechamentos das vias alternativas ( NOSSOS SALVADORES DESVIOS) e seria, e é, mais que justo que conhecemos logo as opiniões, posições que assumem os atuais candidatos a Prefeito de nossa Caxias.
Por quê?
Pois tudo isto virá à tona logo após 5 de outubro, daqui a apenas 1 mês.

Um comentário:

Paulo disse...

sou usuário da BR 116 entre Caxias do Sul e Nova petrópolis, uso-a diariamente, para meu trabalho e faculdade, com a cobrança que haverá na mudança da praça de Vila Cristina, não terei outra saida a não ser me mudar para Caxias para pagar aluguel, ou me auto demitir e tentar um emprego com menor renda na cidade de Nova petrópolis. Não sou o único, estamos fazendo este trajeto em mais de 50 pessoas, muito provável que muitos teram que fazer o mesmo.
se a tarfia fosse de 2 reais ninguém desviaria, ou muito poucos desviariam, mas o valor cobrado e assinado pelso governadores além de absurdo é injutificável. Não basta fazer pequenos remendo e cortar mato, tem que fazer 3ª pista em toda a estensão. mas fazer sem desculpas, foi para isso que foram criados os tais pedagio do seu Brito